Broad perspectives for media critique

Rumores

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title Broad perspectives for media critique
Crítica de mídia em perspectiva aberta
 
Creator Prado, José Luiz Aidar
 
Subject media critique; psychoanalysis; politics; affects
crítica midiática; psicanálise; política; afetos
 
Description What does it mean to criticize media nowadays? We will discuss this theme in two directions: first, conceptualizing critique by using Judith Butler; then, we will conceptualize the mediatic part from the critique, from the perspective of psychoanalysis, considering the concepts of symptom and fantasy. Concretely, we will examine the polarization in Brazil after 2013, from the idea of affections. How to deal with this polarization? How can discourse theory, psychoanalysis and tensive semiotics collaborate to situate this polarization from politics and the circuit of affections?
O que significa hoje fazer crítica midiática? Abordaremos o tema em duas vetorizações: a primeira, entendendo a crítica a partir de Judith Butler; a segunda, situando o midiático da crítica a partir da psicanálise, considerando os conceitos de sintoma e fantasia. Como objeto concreto, examinaremos o tema da polarização pós-2013 no país a partir da questão dos afetos. Como dar conta dessa polarização? Como a teoria do discurso, a psicanálise e a semiótica tensiva podem colaborar na tarefa de situar essa polarização a partir da política e do circuito dos afetos? 
 
Publisher Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes
 
Contributor
CNPq
 
Date 2018-06-22
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion


 
Format application/pdf
 
Identifier http://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/143405
10.11606/issn.1982-677X.rum.2018.143405
 
Source RuMoRes – Online Magazine on Communication, Language and Media; v. 12, n. 23 (2018); 32-55
Rumores; v. 12, n. 23 (2018); 32-55
1982-677X
 
Language por
 
Relation http://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/143405/140803
/*ref*/AGAMBEN, Giorgio. O aberto. Homem e animal. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013. __________________. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2007. 
ALONSO, A. A política das ruas. In: Folha de S. Paulo. Ilustríssima. 25/09/2016. Consultado em: <http://www1.folha.uol.com.br/colunas/angela-alonso/2016/09/1816167-a-politica-das-ruas.shtml> Acesso em 10/11/2016. BADIOU, Alain. O ser e o evento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/UFRJ, 1996. _____________. Para uma nova teoria do sujeito. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994. BOSCO, F. A vítima tem sempre razão? Lutas identitárias e o novo espaço público brasileiro. São Paulo: Todavia, 2017. BROWN, W. Neoliberalism and the economization of rights. In: LAFONT, C.; DEUTSCHER, P. Critical theory in critical times. Transforming the global political and economic order. New York: Columbia University Press, 2017. BUENO, Alexandre Marcelo. Para uma gramática da intolerância. Entremeios: revista de estudos do discurso. v.10, jan.- jun./2015 Disponível em < http://www.entremeios.inf.br >. Acessado em 5/1/2018. BUTLER, J. What is critique? In: SALIH, Sara and BUTLER, Judith. Judith Butler Reader. London: Blackwell, 2005. DUFOUR, Dany-Robert. A cidade perversa. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2013. FONTENELLE, Isleide. Cultura do consumo. São Paulo: FGV, 2017. ___________________. A resignificação da crise ambiental pela mídia de negócios: responsabilidade empresarial e redenção pelo consumo. Revista Galáxia V.13. N26, São Paulo: Educ, 2013. FOUCAULT, M. O nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008. GREIMAS, A.J.; FONTANILLE, J. Semiótica das paixões: dos estados de coisas aos estados de alma. São Paulo: Ática, 1993. HOWARTH, David; STAVRAKAKIS, Yannis. Introducing discourse theory and political analysis. In: HOWARTH, David; NORVAL, Alleta; STAVRAKAKIS, Yannis. Discourse Theory and Political Analysis: identities, hegemonies and social change. Nova Iorque: Manchester u.P., 2000. LACLAU, Ernesto. Hegemonia e estratégia socialista. São Paulo: Intermeios, 2015. _______________. A razão populista. São Paulo: Três estrelas, 2013. LAZZARATO, M.; Alliez, É. Guerres et capital. Paris: Amsterdam, 2016. Introdução disponível em: http://uninomade.net/tenda/guerras-e-capital/ Acessado em 12/2/18. PRADO, José Luiz Aidar. Da antipolítica ao acontecimento: o anarquismo dos corpos acontecimentais. In: Comunicação, mídia e consumo (on line), v. 14, p. 10-30, 2017. _____________ ________. Reconhecimento tenso, acontecimento inaugural: na direção de outra comunicação. Revista E-Compós. Brasília, v. 20, p. 1-15, 2017a. _____________________. Decifrando os pontos sintomáticos do capitalismo comunicacional. In: Prado, José Luiz Aidar; Prates, Vinicius. (Org.). Sintoma e fantasia no capitalismo comunicacional. 1ed.São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2017b, v. 1, p. 13-34. ______________________. A política do performativo em Butler. In: Greiner, Christine. (Org.). Leituras de Judith Butler. 1ed.São Paulo: Annablume, 2016, v. , p. 15-35. ______________________. Comunicação e reinvenção acontecimental da política. In: JESUS, Eduardo; JANOTTI Jr., Jeder; TRINDADE, Eneus. Reinvenção comunicacional da política. Brasília: Compós, 2016. ______________________. Comunicação como espistemologia do sul: do reconhecimento à emergência do acontecimento. In: Matrizes. V.9, n.2, jul./dez., pp. 109-125. São Paulo: ECA-USP, 2015. ______________________. Convocações biopolíticas dos dispositivos comunicacionais. São Paulo: Educ, 2013. ______________________. Política do acontecimento. Revista Famecos, Porto Alegre, PUC-RS, v. 20, n. 2, p. 495-520, maio-ago. 2013b. ______________________. Regime de visibilidade em revistas. DVD Hipermídia. São Paulo: Puc-SP, 2011. PRADO, J.L.A. Afetos em confronto: quem vai para a rua? In: FREIRE FILHO, J. (Org.) Afetos, Emoções e Sentimentos: Horizontes de Pesquisa em Comunicação. No prelo, 2018. PRADO, J.L.A.; PRATES, V. (org.) Sintoma e fantasia no capitalismo comunicacional. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2017. PRADO, José Luiz Aidar.; PRATES, V. O significante “povo brasileiro” na crise política do impeachment de Dilma Rousseff. Texto originalmente apresentado na Conferência Internacional Patologias e disfunções da democracia. Covilhã: Universidade Beira Interior, em Covilhã, Portugal, 2017a. PRADO, José Luiz Aidar; CAZELOTO, Edilson. As tecnologias digitais num futuro despotencializado. In: PRADO, José Luiz Aidar; PRATES, Vinicius (Org.) Sintoma e fantasia no capitalismo comunicacional. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2017, v.1, p. 105-129. ___________________________________________. Sobre a sustentabiliade como fantasia liberal-capitalista: do tampão verde à ecologia sem natureza. Revista Famecos (on line), v.22, p.1-14, 2015. ___________________________________________. Valor e Comunicação no Capitalismo Globalizado. In: Revista E-Compós. Brasília, agosto 2006. Disponível em: www.compos.org. br/e-compos. Acesso em: 15/09/2012. PRADO, J. L.A. et al. A invenção do Mesmo e do Outro na mídia semanal. DVD Hipermídia. São Paulo: Puc-SP, 2008. SAFATLE, V. Descobrir outras formas de gozo pode quebrar nossos tabus e dogmas. Folha de S. Paulo/ Ilustrada, 15/9/2017. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/vladimirsafatle/2017/09/1918608-descobrir-outras-formas-de-gozo-pode-quebrar-nossos-tabus-e-dogmas.shtml?loggedpaywall. Acessado em 12/2/18. SANTOS, B. S. S. Reinventar a teoria crítica. São Paulo: Boitempo, 2007. ______________. A gramática do tempo. São Paulo: Cortêz, 2006. SAFATLE, V. (2015). O circuito dos afetos. São Paulo: Cosac Naify. ZILBERBERG, C. Elementos de semiótica tensiva. São Paulo: Ateliê, 2011. _______________. As condições semióticas da mestiçagem. In: CAÑIZAL, E. P. ; CAETANO, K.E.; (org.) Olhar à deriva. Mídia, significação e cultura. São Paulo: Annablume, 2004. ZILBERBERG, C.; FONTANILLE, J. Tensão e significação. São Paulo: Humanitas, 2001. ŽIŽEK, S. Event: philosophical journey through a concept. Londres e Nova Iorque: 8 Blackstock Mill e Melville House, 2014. ________. Menos que nada. São Paulo: Boitempo, 2013. ZUPANCIC, Alenka. What is sex. London: MIT Press Cambridge, 2017.
 
Rights Direitos autorais 2018 Rumores
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library