A Criança Contemporânea e a Noção de Cuidado: Uma Reflexão a partir da Fenomenologia Hermenêutica

Revista Subjetividades

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title A Criança Contemporânea e a Noção de Cuidado: Uma Reflexão a partir da Fenomenologia Hermenêutica
 
Creator Dourado, Maira Prieto Bento
 
Subject
criança; psicoterapia; cuidado; Heidegger.
 
Description Partindo da perspectiva heideggeriana sobre o ser-aí, apresento uma compreensão da criança na contemporaneidade tendo como fio condutor a noção de cuidado para compreender os modos de ser do homem no ciclo inicial da vida. Utilizei a fenomenologia como metodologia qualitativa, articulando a teoria à prática clínica da autora em psicoterapia infantil. Primeiramente, apresento uma discussão teórica sobre cuidado embasada na filosofia de Heidegger, dialogando com autores afins. Posteriormente, um aprofundamento bibliográfico sobre o percurso histórico das formas de se relacionar com a criança e como acumulam novos conceitos e padrões. Por fim, apresento uma perspectiva heideggeriana do ser-aí da criança. A condução da criança ao psicoterapeuta envolve dificuldades denominadas cientificamente de “distúrbios”, que se referem ao não ajustamento a modelos normativos constituídos na sociedade e na cultura. São determinações históricas acerca do sentido da experiência infantil e constituem o espaço em que o ser do homem se constitui, mas é preciso pensar de que modo esse homem está em jogo em sua constituição. Em Heidegger, o cuidado se encontra na ontologia dos fenômenos e precede qualquer “atitude” ou “situação” vivida, é estar em jogo na sua existência. O filósofo defende que a criança pertence a uma fase cronológica do ser-aí, não há diferenciação entre ser-aí criança ou ser-aí adulto, e aponta a inclinação atual por diagnósticos, que fecham o homem como substância que possa ser examinada, medida e tratada como objeto. “Verdade”, “diagnóstico” e “cura” são palavras que se encaixam no pensamento calculante da ciência moderna, da técnica, e se revelam no discurso dos pais. O espaço terapêutico de cuidado permite a compreensão da criança não a partir de determinações a priori, mas sim naquilo que aparece: a criança será, então, compreendida a partir das suas próprias significações.
 
Publisher Universidade de Fortaleza
 
Contributor Universidade Federal do Sul da Bahia
 
Date 2021-06-19
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion

 
Format application/pdf
 
Identifier https://periodicos.unifor.br/rmes/article/view/e9492
10.5020/23590777.rs.v21iEsp1.e9492
 
Source Revista Subjetividades; v. 21 (2021): Fascículo Especial 1 - Psicologia & Fenomenologia; Publicado online: 19/06/2021
2359-0777
2359-0769
 
Language por
 
Relation https://periodicos.unifor.br/rmes/article/view/e9492/pdf
https://periodicos.unifor.br/rmes/article/downloadSuppFile/e9492/5180
https://periodicos.unifor.br/rmes/article/downloadSuppFile/e9492/Texto%20alterado%20p%C3%B3s%20avalia%C3%A7%C3%A3o%201
/*ref*/Ariès, P. (1978). História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar.
/*ref*/Angerami, V. A. (2004). O atendimento infantil na ótica fenomenológica e existencial. São Paulo: Pioneira Thompson.
/*ref*/Boss, M. (1988). Angústia, culpa e libertação (4a ed.). São Paulo: Livraria Duas Cidades.
/*ref*/Castro, L. R. (1988). Infância e adolescência na cultura do consumo. Rio de Janeiro: NAU.
/*ref*/Coimbra, C. M. B. (1995). Guardiães da ordem: Uma viagem pelas práticas psi no Brasil do “milagre”. Rio Janeiro: Oficina do Autor.
/*ref*/Cytrynowicz M. B. (2000). O mundo da criança. Revista da Associação Brasileira de Daseinsanalyse, 9, 74-89.
/*ref*/Del Priore, M. (2002). História das crianças no Brasil (3a ed.). São Paulo: Contexto.
/*ref*/Heidegger, M. (2005a). Ser e tempo: Parte 1 (15a ed.). Petrópolis: Vozes. (Originalmente publicado em 1927).
/*ref*/Heidegger, M. (2005b). A questão da técnica. In M. Heidegger, Ensaios e Conferências (pp. 11-38). Petrópolis, RJ: Vozes.
/*ref*/Heidegger, M. (2007). Ser e verdade. Petrópolis, RJ: Vozes.
/*ref*/Heidegger, M. (2008). Verdade – Ser-aí – Ser-com. In M. Heidegger, Introdução à filosofia (pp. 129-140). São Paulo: Martins Fontes.
/*ref*/Heywood, C. (2018) A history of childhood: Children and childhood in the West from Medieval to Modern times. Cambridge, UK: Potity press.
/*ref*/Mattar, C. (2015). A criança e a família: Aspectos históricos e dilemas contemporâneos. In A. M. Feijoo & E. L. Feijoo (Orgs.), Ser criança: Uma compreensão existencial da experiência infantil. Rio de Janeiro: Edições IFEN.
/*ref*/Rodrigues, T. J. (2006). Terror, medo, pânico: Manifestações da angústia no contemporâneo. Rio de Janeiro: 7 Letras.
/*ref*/Sá, R. N. (2017). Para além da técnica: Ensaios fenomenológicos sobre psicoterapia, atenção e cuidado. Rio de Janeiro: Via Veritá.
/*ref*/Veyne, P. (2009). A história da vida privada (Vol 1). São Paulo: Ed. Companhia de Bolso.
/*ref*/Yalom, I. D. (1980). Existential psychotherapy. New York: Basic Books.
 
Rights Direitos autorais 2021 Revista Subjetividades
https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library