A Arte de Hélio Oiticica como Experiência de Ócio Estético

Revista Subjetividades

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title A Arte de Hélio Oiticica como Experiência de Ócio Estético
 
Creator Barbosa, Renata Mota
Diógenes, Eliane Vasconcelos
Castro, Marta Sorelia Felix de
de Oliveira Martins, Jose Clerton
 
Subject
arte; Hélio Oiticica; experiência; ócio.
 
Description Na sociedade contemporânea, o imediatismo impõe ao sujeito a urgência de ocupar seu tempo com alguma atividade produtiva. Pela possibilidade de romper com esse automatismo, somos instigados a investigar a potência da arte como experiência de ócio estético. Assim, realizamos um estudo teórico exploratório aliado a uma pesquisa etnográfica na exposição Hélio Oiticica – estrutura, corpo, cor, de 2016, da Universidade de Fortaleza. Do resultado da observação participante realizada na exposição, destacamos dois conceitos utilizados pelo artista, os quais foram vitais para nosso intento: suprassensorial e crelazer. A partir disso, encontramos que a arte de Oiticica focaliza a experiência de interação do sujeito com a obra. Desse modo, rompe com o dualismo obra-público ao convocar o sujeito a se tornar um participador. Assim, inferimos que a obra só se torna obra a partir dessa experiência de interação. O suprassensorial consiste no processo de o sujeito sentir novas percepções, sensações, a partir do seu contato com a arte e na proposta do crelazer, Oiticica convida o participador a mergulhar em um campo de recriação da obra e de sua própria existência a partir da presença do participador, descondicionado. Tal condição fundamenta a proposta do termo “experiência de ócio estético”, que emerge da relação do sujeito com a arte, convocando-o à própria ressignificação na experiência. Consideramos que tais vivências transformadoras potencializam o sujeito, de forma que ele se torna criador do seu tempo, do seu espaço, ao abrir-se ao novo, pois, ao incorporar o papel autoral dessa experiência, poderá presentear-se com um momento especial no meio do tempo veloz da contemporaneidade. A partir do percurso investigativo, somos levados a crer que a arte de Oiticica, como experiência propiciada pelos sentidos, pretende afetar a experiência de vida do participador, abrindo chance ao rompimento com a aceleração e novas autonomias.
 
Publisher Universidade de Fortaleza
 
Contributor
 
Date 2021-03-16
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion

 
Format application/pdf
 
Identifier https://periodicos.unifor.br/rmes/article/view/e9174
10.5020/23590777.rs.v21i1.e9174
 
Source Revista Subjetividades; v. 21, n. 1 (2021); Publicado online: 29/04/2021
2359-0777
2359-0769
 
Language por
 
Relation https://periodicos.unifor.br/rmes/article/view/e9174/pdf
https://periodicos.unifor.br/rmes/article/downloadSuppFile/e9174/4817
https://periodicos.unifor.br/rmes/article/downloadSuppFile/e9174/4818
/*ref*/Alvim, M. B. (2014). A poética da experiência: Gestalt-terapia, fenomenologia e arte. Rio de Janeiro: Garamond.
/*ref*/Aquino, C. A. B., & Martins, J. C. O. (2007). Ócio, lazer e tempo livre na sociedade do consumo e do trabalho. Revista Mal-Estar e Subjetividade, 7(2), 479-500.
/*ref*/Arroyabe, M. L. A. (2009). Beneficios de la experiencia de ocio estético. Revista Mal-Estar e Subjetividade, 9(2), 397-432.
/*ref*/Arroyabe, M. L. A., & Cuenca-Amigo, M. (2016). Educación del ocio estético: Principios y orientaciones del programa Disfrutar las Artes de la Universidad de Deusto. Sinéctica, 47(52), 1-19.
/*ref*/Barbosa Junior, F. W. D. S., Baptista, M. M. R. T., & Sánchez, M. J. M. (2019). Notas sobre la experiencia de ocio estético. Revista Subjetividades, 19(2), 1-12.
/*ref*/Bauman, Z. (2001). Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
/*ref*/Braga, P., (2015). Os anos 1960: descobrir o corpo. In F. W. Barcinski (Ed.), Sobre a arte brasileira: da pré-história aos anos 1960 (pp. 284-323). São Paulo: Edições Sesc.
/*ref*/Braga, P., & Favaretto, C. (2015). Estrutura, corpo, cor: Exposição Hélio Oiticica. Fortaleza: Base7.
/*ref*/Calcanhotto, A. (1998). Parangolé pamplona. In Marítimo [CD, Faixa 1]. São Paulo: Columbia Records.
/*ref*/Cayses, J. B. V. (2014). Isto não é uma obra: Arte e ditadura. Estudos Avançados, 28(80), 115-128.
/*ref*/Favaretto, C. (2015). A invenção de Hélio Oiticica. São Paulo: Edusp.
/*ref*/Han, B.-C. (2015). Sociedade do cansaço. Petrópolis, RJ: Vozes.
/*ref*/Han, B.-C. (2017). Agonia do eros. Petrópolis, RJ: Vozes.
/*ref*/Le Breton, D. (2018). La sociología del cuerpo. Madrid: Siruela. Link
/*ref*/Martins, J. C. O. (2012). Tempos sociais acelerados, patrimônio cultural em risco. In M. D. S. Brasileiro, J. C. C. Medina, & L. N. Coriolano (Orgs.), Turismo, cultura e desenvolvimento (pp. 169-193). Campina Grande: EDUEPB.
/*ref*/Neves, J. L. (1996). Pesquisa qualitativa: Características, usos e possibilidades. Cadernos de Pesquisa em Administração, 1(3), 1-5.
/*ref*/Oiticica, H. (1986). Aspiro ao grande labirinto. Rio de Janeiro: Rocco.
/*ref*/Rocha, L. D. L. A. (2017). Percursos de fé, caminhos para si: Sobre a experiência peregrina de idosos romeiros em Juazeiro do Norte, Ceará, Brasil. Tese de Doutorado, Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade de Fortaleza, CE.
/*ref*/Rocha, A. L. C., & Eckert, C. (2008). Etnografia: Saberes e práticas. In C. R. J. Pinto, & C. A. B. Guazzelli (Orgs.), Ciências Humanas: Pesquisa e método (pp. 9-24). Porto Alegre: Editora da Universidade.
/*ref*/Tôrres, J. J. M., Martins, J. C. O., & de Lemos Castro, B. P. (2017). Sobre ócio estético: Possibilidades a partir da experiência de fotografar. Revista Trama Interdisciplinar, 8(2).
 
Rights Direitos autorais 2021 Revista Subjetividades
https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library