A descriminalização do abordo enquanto meio de manutenção da vida – A perspectiva da ADE

Ecolinguística: Revista brasileira de ecologia e linguagem

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title A descriminalização do abordo enquanto meio de manutenção da vida – A perspectiva da ADE
 
Creator Lais Carolina Machado e Silva
Lajla Katherine Rocha Simião
 
Subject Aborto. Descriminalização. Análise do Discurso Ecossistêmica.
 
Description Este artigo apresenta uma investigação acerca de uma questão polêmica, o aborto, pois implica sempre a morte do feto e, em muitos casos, de mulheres que se submetem a práticas ilegais e clandestinas. Este tema implica diversas questões que envolvem política, religião, direito, legislação, saúde, educação, entre outras, talvez seja por esse fator que se tornou um tema difícil, o qual suscita na sociedade diferentes sentimentos. Há inúmeros discursos que afirmam que a descriminalização do aborto seria um meio de manutenção da vida, de modo que um maior número de mulheres poderia ser salvo com a descriminalização dessa prática. Foram esses discursos que se tornaram ponto de partida para essa pesquisa, justamente por enxergarmos uma contradição: como a descriminalização do aborto seria uma forma de manutenção da vida, quando desconsideram a vida dos fetos? Vão além, enxergam essa prática como a favor da vida, no sentido de que as mulheres receberiam um tratamento mais humano e em melhores condições de atendimento. Neste artigo utilizamos o referencial teórico da Análise do Discurso Ecossistêmica (ADE), que enfatiza a ideologia da vida, o que não significa que ela desconsidere as ideologias políticas, porém, ela não será ponto de partida para a análise, na qual buscaremos discutir o delicado dilema ‘morte de mulheres versus morte de feto’. A espinhosa pergunta é: Qual das duas vidas se deve salvar? Após nossa investigação entendemos que quando falamos em descriminalizar o aborto, a questão vai além de uma disputa entre qual seria a vida mais importante, mas sim em entendermos por qual vida podemos fazer alguma coisa, no sentindo de protegê-la. Desse modo, compreendemos que a descriminalização do aborto deve ser entendida como uma prática a favor da vida, não contra, no sentido de que estará resguardando a vida de inúmeras mulheres. A ADE, por defender a vida em seu sentido mais amplo, é a favor da descriminalização do aborto, no sentido de que a vida de muitas mulheres seriam poupadas, posto que não precisariam recorrer as práticas clandestinas. Outro fator que contribui para que a ADE seja a favor é o fato da descriminalização não implicar no aumento no número de casos de aborto, pois pesquisas realizadas em países em que a prática foi descriminalizada revelam que o número se manteve, porém, o número de morte de mulheres diminuiu. Uma das características da ADE é seu engajamento e seu caráter prescritivo, na medida em que propõe alternativas realizáveis que visam a eliminação do sofrimento e a preservação da vida. Dessa maneira, a ADE propõe a criação de medidas socioeducativas que possibilitem um maior conhecimento sobre o uso dos métodos contraceptivos e as questões sexuais, de modo a evitar a banalização do aborto. Como também um maior acesso da população aos métodos preventivos.
 
Publisher Programa de Pós-Graduação em Linguística (UnB-PPGL)
 
Date 2021-02-26
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
 
Format application/pdf
 
Identifier https://periodicos.unb.br/index.php/erbel/article/view/34953
 
Source Ecolinguística: Revista brasileira de ecologia e linguagem (ECO-REBEL); Vol. 7 No. 1 (2021); 54-68
Ecolinguística: Revista brasileira de ecologia e linguagem (ECO-REBEL); v. 7 n. 1 (2021); 54-68
2447-7052
 
Language por
 
Relation https://periodicos.unb.br/index.php/erbel/article/view/34953/29028
 
Rights Copyright (c) 2021 Ecolinguística: Revista brasileira de ecologia e linguagem (ECO-REBEL)
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library