Olympic Values and Education Scale (EEVO-15): The challenge of measuring human values in educational practice

Olimpianos - Journal of Olympic Studies

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title Olympic Values and Education Scale (EEVO-15): The challenge of measuring human values in educational practice
Escala de Educacíon y Valores Olímpicos (EEVO-15): El desafío de medir los valores humanos en la práctica educativa
Escala de Educação e Valores Olímpicos (EEVO-15): O desafio de mensurar valores humanos na prática educativa
 
Creator Quintilio, Natália Kohatsu
Marconi, Juliana Rodrigues
Rabelo, Ivan Santana
 
Description In the school environment, human values manifest in daily routine, and measuring them is a challenge and a dilemma. However, the new guiding document for education in Brazil, the “Base Nacional Comum Curricular (BNCC)” demands that social emotional skills be considered in the teaching and learning process. There are few instruments capable of assessing the relationship between sport, education and Olympic values, which are, at the limit, human values. The aim of this study was to observe students' responses regarding human values and to estimate evidence of validity and accuracy of the Education and Olympic Values Scale (EEVO-15). 138 students aged 7 to 14 years (10 ± 1.23), 68 girls (49.3%) and 70 boys (50.7%), with regular physical education classes, participated in this study. Greater Sao Paulo, Brazil. Confirmatory Factor Analysis showed the internal structure composed of three factors, with Cronbach's alpha of 0.70 and 0.64 and 0.67, respectively. Only in factor F1, associated with friendship, there was a statistically significant difference with the variable gender, however, in the other factors girls also presented, on average, higher responses. In the group of girls, it was found that with increasing age, the score on friendship increases and the average score on the self-management factor of emotions decreases. EEVO-15 presented satisfactory initial psychometric results, but adjustments and further studies are suggested. In the end, it is considered that the evaluation can be a relevant instrument for the teacher to follow new ways of acting with students, besides the need to measure the reach achieved with activities that stimulate the values in sports actions.
References
1 Brasil. Base Nacional Comum Curricular – BNCC (2017). Documento homologado pela Portaria n° 1.570, publicada no D.O.U. de 21/12/2017, Seção 1, Pág. 146. Brasília, 21 de dezembro de 2017. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/
2 Rabelo IS, Rubio K. Etapa do projeto de construção de uma medida para apoio no programa “Rumo ao Pódio Olímpico”. Projeto em parceria com a Secretaria de Educação do Município de São Paulo. 2008.
3 Castro NR, Rabelo IS, Rubio K. Estudos de análise fatorial com a Escala de Educação e Valores Olímpicos (EEVO). VI Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica – IBAP; 4-7 julho 2013, Maceió, AL. Anais.
4 Rabelo IS, Rubio K, Ambiel RM. Estudos iniciais de construção de uma escala de educação e valores olímpicos. Trabalho apresentado no VI Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica – IBAP; 4-7 julho 2013, Maceió, AL. Anais.
5 Rabelo IS, Peixoto EM, Nakano TC, Rubio K. Avaliação de valores Olímpicos e humanitários na educação: Proposta de um instrumento de medida. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte. 2016; 6: 26-41.
6 Timmerman ME, Lorenzo-Seva U. Dimensionality assessment of ordered Polytomous items with parallel analysis. Psychological Methods. 2011; 16(2): 209-220.
7 Borsboom D, Milfont TL, Fisher R. Testing measurement invariance across groups: Applications in cross-cultural research. International Journal of Psychological Research. 2010; 3 (1): 111-121.
8 Dória C, Tubino MJG. (2006). Avaliação da Busca da Cidadania pelo Projeto Olímpico da Mangueira. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. 2006; 14 (50): 77-90.
9 Kohe GZ. Disrupting the rhetoric of the rings: a critique of olympic idealism in physical education. Sport, Education & Society. 2010; 15(4): 479-494.
10 Aroni A. Teaching human rights through Olympic Education in the Intercultural Lyceum of Athens: a case study. Intercultural Education. 2013; 24(5): 489-492.
11 Binder DL. Olympic values education: evolution of a pedagogy. Educational Review. 2012; 64(3): 275-302.
12 Rubio K. Esporte, educação e valores olímpicos. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2009
13 Hair JF, Anderson R, Tatham R, Black W. Multivariate data analysis with readings. New Jersey, USA: Pearson; 1987.
14 Kaiser HF, Rice J. Little Jiffy, mark IV. Educational and Psychological Measurement. 1977; 34(1): 111-117.
15 Piaget J. O juízo moral na criança. São Paulo: Summus; 1994.
16 Kohlberg L. The philosophy of moral development: Moral stages and the idea of justice. San Francisco: Harper & Row; 1981.
17 Kohlberg L, Higgins A, Power FC. Kohlberg’s approach to moral education. New York: University Press; 1989.
18 Rabelo IS. Investigação de traços de personalidade em atletas brasileiros: análise da adequação de uma ferramenta de avaliação psicológica [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2013
19 Marchioni A. Ética: a arte do bom. Petrópolis, RJ: Vozes; 2010
20 Goergen P. Educação e valores no mundo contemporâneo. Educ. Soc., Campinas. 2005; 26(92): 983-1011.
21 Silva AMB, Foch GFL, Guimarães CA, Enumo SRF. Instrumentos aplicados em estudos brasileiros em psicologia do esporte. Estudos Interdisciplinares em Psicologia. 2014; 5(2):77-95.
En el entorno escolar, los valores humanos se manifiestan en la rutina diaria, y medirlos es un desafío y un dilema. Sin embargo, el nuevo documento guía para la educación en Brasil, la "Base Nacional Comum Curricular (BNCC)" exige que las habilidades socioemocionales sean consideradas en el proceso de enseñanza y aprendizaje. Existen pocos instrumentos capaces de evaluar la relación entre el deporte, la educación y los valores olímpicos, que son, al límite, los valores humanos. El objetivo de este estudio fue observar las respuestas de los estudiantes con respecto a los valores humanos y estimar la evidencia de validez y precisión de la Escala de Educación y Valores Olímpicos (EEVO-15). 138 estudiantes de 7 a 14 años (10 ± 1.23), 68 niñas (49.3%) y 70 niños (50.7%), con clases regulares de educación física, participaron en este estudio. Gran Sao Paulo, Brasil. El análisis factorial confirmatorio mostró la estructura interna compuesta de tres factores, con un alfa de Cronbach de 0,70 y 0,64 y 0,67, respectivamente. Solo en el factor F1, asociado con la amistad, hubo una diferencia estadísticamente significativa con la variable género, sin embargo, en los otros factores, las niñas también presentaron, en promedio, respuestas más altas. En el grupo de niñas se encontró que, con el aumento de la edad, el puntaje en la amistad aumenta y el puntaje promedio en el factor de autogestión de las emociones disminuye. EEVO-15 presentó resultados psicométricos iniciales satisfactorios, pero se sugieren ajustes y estudios adicionales. Al final, se considera que la evaluación puede ser un instrumento relevante para que el maestro siga nuevas formas de actuar con los estudiantes, además de la necesidad de medir el alcance alcanzado con actividades que estimulan los valores en las acciones deportivas.
Referencias
1 Brasil. Base Nacional Comum Curricular – BNCC (2017). Documento homologado pela Portaria n° 1.570, publicada no D.O.U. de 21/12/2017, Seção 1, Pág. 146. Brasília, 21 de dezembro de 2017. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/
2 Rabelo IS, Rubio K. Etapa do projeto de construção de uma medida para apoio no programa “Rumo ao Pódio Olímpico”. Projeto em parceria com a Secretaria de Educação do Município de São Paulo. 2008.
3 Castro NR, Rabelo IS, Rubio K. Estudos de análise fatorial com a Escala de Educação e Valores Olímpicos (EEVO). VI Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica – IBAP; 4-7 julho 2013, Maceió, AL. Anais.
4 Rabelo IS, Rubio K, Ambiel RM. Estudos iniciais de construção de uma escala de educação e valores olímpicos. Trabalho apresentado no VI Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica – IBAP; 4-7 julho 2013, Maceió, AL. Anais.
5 Rabelo IS, Peixoto EM, Nakano TC, Rubio K. Avaliação de valores Olímpicos e humanitários na educação: Proposta de um instrumento de medida. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte. 2016; 6: 26-41.
6 Timmerman ME, Lorenzo-Seva U. Dimensionality assessment of ordered Polytomous items with parallel analysis. Psychological Methods. 2011; 16(2): 209-220.
7 Borsboom D, Milfont TL, Fisher R. Testing measurement invariance across groups: Applications in cross-cultural research. International Journal of Psychological Research. 2010; 3 (1): 111-121.
8 Dória C, Tubino MJG. (2006). Avaliação da Busca da Cidadania pelo Projeto Olímpico da Mangueira. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. 2006; 14 (50): 77-90.
9 Kohe GZ. Disrupting the rhetoric of the rings: a critique of olympic idealism in physical education. Sport, Education & Society. 2010; 15(4): 479-494.
10 Aroni A. Teaching human rights through Olympic Education in the Intercultural Lyceum of Athens: a case study. Intercultural Education. 2013; 24(5): 489-492.
11 Binder DL. Olympic values education: evolution of a pedagogy. Educational Review. 2012; 64(3): 275-302.
12 Rubio K. Esporte, educação e valores olímpicos. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2009
13 Hair JF, Anderson R, Tatham R, Black W. Multivariate data analysis with readings. New Jersey, USA: Pearson; 1987.
14 Kaiser HF, Rice J. Little Jiffy, mark IV. Educational and Psychological Measurement. 1977; 34(1): 111-117.
15 Piaget J. O juízo moral na criança. São Paulo: Summus; 1994.
16 Kohlberg L. The philosophy of moral development: Moral stages and the idea of justice. San Francisco: Harper & Row; 1981.
17 Kohlberg L, Higgins A, Power FC. Kohlberg’s approach to moral education. New York: University Press; 1989.
18 Rabelo IS. Investigação de traços de personalidade em atletas brasileiros: análise da adequação de uma ferramenta de avaliação psicológica [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2013
19 Marchioni A. Ética: a arte do bom. Petrópolis, RJ: Vozes; 2010
20 Goergen P. Educação e valores no mundo contemporâneo. Educ. Soc., Campinas. 2005; 26(92): 983-1011.
21 Silva AMB, Foch GFL, Guimarães CA, Enumo SRF. Instrumentos aplicados em estudos brasileiros em psicologia do esporte. Estudos Interdisciplinares em Psicologia. 2014; 5(2):77-95.
No ambiente escolar, os valores humanos se manifestam na rotina diária e mensurá-los é um desafio e um dilema. No entanto, o novo documento norteador da educação no Brasil, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) demanda que as habilidades socioemocionais sejam consideradas no processo de ensino e aprendizagem. São poucos os instrumentos capazes de avaliar a relação entre o esporte, a educação e os valores olímpicos, que são, no limite, valores humanos. O objetivo deste estudo foi observar as respostas de alunos a respeito dos valores humanos e estimar evidências de validade e precisão da Escala de Educação e Valores Olímpicos (EEVO-15). Participaram deste estudo 138 alunos com idade entre sete e 14 anos (10±1,23), 68 meninas (49,3%) e 70 meninos (50,7%), com aulas regulares de educação física, em duas escolas públicas da Grande São Paulo, Brasil. A Análise Fatorial Confirmatória apresentou a estrutura interna composta por três fatores, com alfas de Cronbach de 0,70 e 0,64 e 0,67, respectivamente. Apenas no fator F1, associado a amizade, houve diferença estatisticamente significativa com a variável sexo, porém, nos demais fatores as meninas também apresentaram, em média, respostas mais elevadas. No grupo de meninas verificou-se que, com o aumento da idade, a pontuação no amizade aumenta e a pontuação média no fator autogestão das emoções diminui. A EEVO-15 apresentou resultados psicométricos iniciais satisfatórios, mas sugere-se ajustes e novos estudos. Ao final, considera-se que a avaliação pode ser um instrumento relevante para o professor trilhar novos rumos de atuação com alunos, além da necessidade de medir a abrangência alcançada com atividades que estimulem os valores em ações de esporte.
Referências
1 Brasil. Base Nacional Comum Curricular – BNCC (2017). Documento homologado pela Portaria n° 1.570, publicada no D.O.U. de 21/12/2017, Seção 1, Pág. 146. Brasília, 21 de dezembro de 2017. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/
2 Rabelo IS, Rubio K. Etapa do projeto de construção de uma medida para apoio no programa “Rumo ao Pódio Olímpico”. Projeto em parceria com a Secretaria de Educação do Município de São Paulo. 2008.
3 Castro NR, Rabelo IS, Rubio K. Estudos de análise fatorial com a Escala de Educação e Valores Olímpicos (EEVO). VI Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica – IBAP; 4-7 julho 2013, Maceió, AL. Anais.
4 Rabelo IS, Rubio K, Ambiel RM. Estudos iniciais de construção de uma escala de educação e valores olímpicos. Trabalho apresentado no VI Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica – IBAP; 4-7 julho 2013, Maceió, AL. Anais.
5 Rabelo IS, Peixoto EM, Nakano TC, Rubio K. Avaliação de valores Olímpicos e humanitários na educação: Proposta de um instrumento de medida. Revista Brasileira de Psicologia do Esporte. 2016; 6: 26-41.
6 Timmerman ME, Lorenzo-Seva U. Dimensionality assessment of ordered Polytomous items with parallel analysis. Psychological Methods. 2011; 16(2): 209-220.
7 Borsboom D, Milfont TL, Fisher R. Testing measurement invariance across groups: Applications in cross-cultural research. International Journal of Psychological Research. 2010; 3 (1): 111-121.
8 Dória C, Tubino MJG. (2006). Avaliação da Busca da Cidadania pelo Projeto Olímpico da Mangueira. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. 2006; 14 (50): 77-90.
9 Kohe GZ. Disrupting the rhetoric of the rings: a critique of olympic idealism in physical education. Sport, Education & Society. 2010; 15(4): 479-494.
10 Aroni A. Teaching human rights through Olympic Education in the Intercultural Lyceum of Athens: a case study. Intercultural Education. 2013; 24(5): 489-492.
11 Binder DL. Olympic values education: evolution of a pedagogy. Educational Review. 2012; 64(3): 275-302.
12 Rubio K. Esporte, educação e valores olímpicos. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2009
13 Hair JF, Anderson R, Tatham R, Black W. Multivariate data analysis with readings. New Jersey, USA: Pearson; 1987.
14 Kaiser HF, Rice J. Little Jiffy, mark IV. Educational and Psychological Measurement. 1977; 34(1): 111-117.
15 Piaget J. O juízo moral na criança. São Paulo: Summus; 1994.
16 Kohlberg L. The philosophy of moral development: Moral stages and the idea of justice. San Francisco: Harper & Row; 1981.
17 Kohlberg L, Higgins A, Power FC. Kohlberg’s approach to moral education. New York: University Press; 1989.
18 Rabelo IS. Investigação de traços de personalidade em atletas brasileiros: análise da adequação de uma ferramenta de avaliação psicológica [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2013
19 Marchioni A. Ética: a arte do bom. Petrópolis, RJ: Vozes; 2010
20 Goergen P. Educação e valores no mundo contemporâneo. Educ. Soc., Campinas. 2005; 26(92): 983-1011.
21 Silva AMB, Foch GFL, Guimarães CA, Enumo SRF. Instrumentos aplicados em estudos brasileiros em psicologia do esporte. Estudos Interdisciplinares em Psicologia. 2014; 5(2):77-95.
 
Publisher Olimpianos
 
Date 2019-09-05
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
 
Format application/pdf
 
Identifier http://olimpianos.com.br/journal/index.php/Olimpianos/article/view/61
10.30937/2526-6314.v2n3.id61
 
Source Olimpianos - Journal of Olympic Studies; Vol 2 No 3 (2018); 510-527
Olimpianos - Journal of Olympic Studies; Vol. 2 Núm. 3 (2018); 510-527
Olimpianos - Journal of Olympic Studies; v. 2 n. 3 (2018); 510-527
2526-6314
 
Language por
 
Relation http://olimpianos.com.br/journal/index.php/Olimpianos/article/view/61/43
 
Rights Copyright (c) 2018 Olimpianos - Journal of Olympic Studies
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library