A proposta curricular do programa tempo juvenil para a educação de jovens e adultos no estado da Bahia

Laplage em Revista

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title A proposta curricular do programa tempo juvenil para a educação de jovens e adultos no estado da Bahia
 
Creator Bezerra, Débora Silveira Barros
Eugenio, Benedito
Santos, José Jackson Reis dos
 
Subject Educação
Bernstein. Currículo. Educação de Jovens e Adultos.
Políticas educacionais
 
Description O presente artigo apresenta uma análise acerca do Programa Tempo Juvenil, proposta do Estado da Bahia para a educação de jovens e adultos na faixa etária dos 15 aos 17 anos. Discutimos quais os elementos que compõem a proposta e o conceito de currículo nela presente. Para isso, valemo-nos de conceitos da teoria sociológica de Basil Bernstein. O texto da proposta curricular é analisado como documento do Campo Recontextualizador Oficial (CRO). As conclusões apontam que o currículo está organizado em eixos temáticos e temas geradores, possui uma classificação diferente do ensino seriado e é compatível com um currículo do tipo integrado.
 
Publisher UFSCAR - Campus Sorocaba
 
Contributor
 
Date 2019-05-27
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion


 
Format application/pdf
 
Identifier http://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/604
10.24115/S2446-6220201952604p.128-141
 
Source Laplage em Revista; v. 5, n. 2 (2019): MAY/AUGUST - PEDAGOGIA SOCIAL E POLÍTICAS EDUCACIONAIS; p.128-141
2446-6220
10.24115/S2446-6220201952
 
Language por
 
Relation http://www.laplageemrevista.ufscar.br/index.php/lpg/article/view/604/935
/*ref*/ARROYO, M. G. Educação de Jovens e Adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: SOARES, L.; GIOVANETTI, M. A. G. C.; GOMES, N. L. (Orgs.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p.19-50. ARROYO, Miguel G. Imagens quebradas: trajetórias e tempos de alunos e mestres. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2007. ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Vozes, 2011. BAHIA. Secretaria de Educação. Política de EJA da Rede Estadual. Salvador: BA, 2009. Disponível em: http://www.sec.ba.gov.br/jp2011/document/Proposta_da_EJA.pdf. Acesso em 5 de setembro de 2017. BAHIA. Secretaria de Educação. Proposta Pedagógica do Tempo Juvenil / Ensino Fundamental para estudantes de 15 a 17 anos. Salvador: BA, 2013. Disponível em: http://www.sec.ba.gov.br/jp2011/document/Proposta_da_EJA.pdf. Acesso em 5 de setembro de 2017. BALL, S.; MAINNARDES, J. Introdução. In: BALL, S.; MAINNARDES, J. (Orgs.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.p. 11-18. BERNSTEIN, B. A estruturação do discurso pedagógico: classe, código, controle. Petrópolis: Vozes, 1996. 307 p. BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei Nº 9394, de 26 de dezembro de1996. Brasília, 1996. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Legislação Republicana Brasileira, 1998. BRASIL. Conselho Nacional de Educação: Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Parecer CEB nº 11/2000, 2000. BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 1, de 5 de julho de 2000. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação e Jovens e Adultos, 2000. CAMARGO JÚNIOR, S. B.; SANTOS, J. J. R. Teoria dos direitos fundamentais e suas contribuições para o campo da educação de pessoas Jovens, Adultas e Idosas. In: SANTOS, J. J. R.; PEREIRA, S. M. C.; WESCHENFELDER, L. M. (Orgs.). Educação de Pessoas Jovens, Adultas e Idosas: interfaces entre direito à educação, educação popular, currículo(s) e saberes experienciais. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2017.p. 21-43. CARRANO, P. Educação de jovens e adultos e juventude: o desafio de compreender o sentidos da presença dos jovens na escola da “segunda chance”. REVEJ@: Revista de Educação de Jovens e Adultos, Belo Horizonte, v. 1, n. 0, p. 55-67, 2007. DAYRELL, J. T. A juventude e a Educação de Jovens e Adultos: Reflexões iniciais Novos sujeitos. In: SOARES, L.; GIOVANETTI, M. A.; GOMES, N. L. (Orgs.). Diálogos na Educação de Jovens e Adultos. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 53-67. DI PIERRO, M. C. A educação de jovens e adultos no Plano Nacional de Educação: avaliação, desafios e perspectivas. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n.112, p. 939-959. jul./set. 2010. DUARTE, M. L. Reflexões sobre a presença de jovens das classes populares na Educação de Jovens e Adultos. Observatório em Debate, Rio de Janeiro, n.2, p. 68-77, 2015. HADDAD, S.; PIERRO, DI, M. C. Escolarização de Jovens e Adultos. Revista Brasileira de Educação, n 14, p. 108-193, 2000. LEÃO, G. M. P. Políticas de juventude e Educação de Jovens e Adultos: tecendo diálogos a partir dos sujeitos. In: SOARES, L.; GIOVANETTI, M. A.; GOMES, N. L. (Orgs.). Diálogos na Educação de Jovens e Adultos. 3.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p.53-67. LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011. 265 p. LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. MACEDO, N. S. S. A Formação Docente e o Fenômeno da Juvenilização na Educação de Jovens e Adultos: desafios formativos. 2017. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Educação, Universidade do Estado da Bahia, Bahia, 2017. 137 p. MAINARDES, J. ; GANDIN, L. A. A abordagem do ciclo de políticas como epistemetodologia: Usos no Brasil e contribuições para a pesquisa sobre políticas educacionais. In: ALMEIDA, M. de L. P. de; TELLO, C.(Orgs.). Estudos epistemológicos no campo da pesquisa em política educacional. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2013. p. 143-166 MAINARDES, J.; STREMEL, S. A teoria de Basil Bernstein e algumas de suas contribuições para as pesquisas sobre políticas educacionais e curriculares. Revista Teias, v.11, n.22, 2010. MAINARDES, J; FERREIRA, M. dos S.; TELLO, C. Análises de políticas: fundamentos e principais debates teórico-metodológicos. In: BALL, S. J.; MAINARDES, J. Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011. RUMMERT, S. M. A educação de jovens e adultos trabalhadores brasileiros no século XXI. O “novo” que reitera antiga destituição de direitos. Sísifo: Revista de Ciências da Educação, Porto, n. 2, p. 35-50, jan./abr. 2007. SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2007. SILVA, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. TELLO, C. Las epistemologías de la política educacional. Anais Congreso Internacional educación, lenguaje y sociedad: La educación en los nuevos escenarios socioculturales, 2., La Pampa. Actas…, Argentina, 2009. TELLO, C; ALMEIDA, M. de L. P. de. Consolidando o campo da investigação em política educacional. In: ALMEIDA, M. de L. P. de; TELLO, C.(Orgs.). Estudos epistemológicos no campo da pesquisa em política educacional. Campinas, S P: Mercado de Letras, 2013. p. 9-24. YIN, R. K. Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman 2001.
 
Coverage América Latina
Século XXI

 
Rights Direitos autorais 2019 Laplage em Revista
https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library