LIBERALISMO E FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO EM ADAM SMITH

Revista Labor

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title LIBERALISMO E FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO EM ADAM SMITH
 
Creator Freitas Maciel, Paulo Henrique
Sousa, Antonia de Abreu
Souza, Ana Carmita Bezerra de
 
Subject ECONOMIA POLÍTICA
EDUCAÇÃO
FINANCIAMENTO PÚBLICO
FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO
 
Description Neste artigo evidencia-se as principais ideias que consubstanciam as práticas econômicas liberais, a partir de um autor considerado fundamental para compreensão do liberalismo clássico: Adam Smith. São elas: a concepção natural de sociedade; a origem das desigualdades sociais; as fontes de renda: salários, juros, lucros e renda da terra;o financiamento de atividades pela coletividade, destacando a educação. Propriedade privada e desigualdade social possuem interfaces pouco sutis. A propriedade seria fundamentada no direito dos homens de se apropriar da natureza, através do trabalho.Ou seja, o trabalho é fonte de riqueza e justificativa da propriedade privada. A origem das desigualdades sociais se explica pela laboriosidade de uns enquanto outros preferem o descanso eos prazeres da vida. Considere-se a divisão da sociedade nos segmentos de trabalhadores, proprietários de terra e de capitalista; e também, em alguns casos, um trabalhador pode ser, ao mesmo tempo, patrão e empregado (mesmo que sejam raros, como reconhece Smith), sendo, portanto, proprietário de mais de uma fonte de renda. Smith (1996) defende que o beneficiado com determinada ação a financie. Assim, o Estado pode pagar pela educação na medida em que esta beneficia a todos, pois forma pessoas menos propensas a se rebelar e também porque esses alguns conhecimentos básicos, essenciais para a vida na sociedade comercial, não serão adquiridos pelo próprio trabalhador se o Estado não intervier. O pagamento feito ao professor deve ser incentivado para que seja feito pelo próprio trabalhador, pois do contrário o professor seria negligente com o seu ofício. Tendo uma concepção de sociedade baseada em leis naturais, Smith (1996) concebe o capitalismo e o livre mercado como resultado natural do desenvolvimento humano. Ou seja, a sociedade caminha naturalmente para a formação social baseada no mercado e nas diferenças de classes sociais. A educação e suas implicações se inserem neste contexto.
 
Publisher Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da UFC
 
Date 2018-11-07
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
 
Format application/pdf
 
Identifier http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/33614
10.29148/labor.v1i19.33614
 
Source Revista Labor; v. 1 n. 19 (2018); 46-62
1983-5000
 
Language por
 
Relation http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/33614/pdf
 
Rights Copyright (c) 2018 Revista Labor
https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library