Epidemiologia da leishmaniose canina no município de Pedro II, Piauí, entre os anos de 2013 e 2019

Pesquisa e Ensino em Ciências Exatas e da Natureza

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title Epidemiologia da leishmaniose canina no município de Pedro II, Piauí, entre os anos de 2013 e 2019
 
Creator Nascimento, Lucimary do
Andrade, Etielle Barroso de
 
Description A leishmaniose é um grave problema de saúde pública e os cães são considerados como a principal fonte de infecção em áreas urbanas. O município de Pedro II possui grande número de casos de leishmaniose humana, mas não há divulgação sobre a doença em cães. Aqui, determinamos a ocorrência de leishmaniose canina nas zonas urbana e rural do município de Pedro II, estado do Piauí, entre 2013 e 2019. Os dados foram fornecidos pela Coordenação de Controle de Endemias do município. Foram registrados 899 casos caninos da doença, dos quais 51% ocorreram na zona urbana, principalmente nos bairros próximos às áreas de vegetação. Do total, 287 cães foram eutanasiados representando uma taxa de eliminação de 32%. Os anos de 2018 e 2019 apresentaram os maiores números de casos. Apesar de não haver correlação entre o número de cães infectados e os casos em humanos, Pedro II possui um elevado número de cães infectados, além de áreas favoráveis ao desenvolvimento do vetor. Assim, apresentamos informações básicas sobre a leishmaniose canina no município que podem ser usadas para direcionar medidas de controle e proteção dos animais e humanos, além de contribuir com informações da leishmaniose na região norte do estado.  Palavras chave: Zoonose, epidemiologia, leishmaniose visceral, flebotomíneos, saúde pública.
 
Publisher Unidade Acadêmica de Ciências Exatas e da Natureza/CFP/UFCG
 
Contributor
 
Date 2021-03-04
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion

 
Format application/pdf
 
Identifier https://cfp.revistas.ufcg.edu.br/cfp/index.php/RPECEN/article/view/1623
10.29215/pecen.v5i0.1623
 
Source Pesquisa e Ensino em Ciências Exatas e da Natureza; v. 5 (2021): Pesquisa e Ensino em Ciências Exatas e da Natureza; e1623
2526-8236
10.29215/pecen.v5i0
 
Language por
 
Relation https://cfp.revistas.ufcg.edu.br/cfp/index.php/RPECEN/article/view/1623/pdf
/*ref*/Aguiar R.B & Gomes J.R.C (2004) Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Pedro II. Serviço Geológico do Brasil. Fortaleza: CPRM. 26 p. Almeida A.B.P.F., Mendonça A.J. & Sousa V.R.F. (2010) Prevalência e epidemiologia da leishmaniose visceral em cães e humanos, na cidade de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Ciência Rural, 40(7): 1610–1615. https://doi.org/10.1590/S0103-84782010005000102 Amóra S.S.A., Santos M.J.P., Alves N.D., Costa S.C.G., Calabrese K.S., Monteiro A.J. & Rocha M.F.G. (2006) Fatores relacionados com a positividade de cães para leishmaniose visceral em área endêmica do Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Ciência Rural, 36(6): 1854–1859. https://doi.org/10.1590/S0103-84782006000600029 Barbosa D.S., Rocha A.L., Santana A.A., Souza C.S.F., Dias R.A., Costa-Júnior L.M. & Abreu-Silva A.L. (2010) Soroprevalência e variáveis epidemiológicas associadas à leishmaniose visceral canina em área endêmica no município de São Luís, Maranhão, Brasil. Ciência Animal Brasileira, 11(3): 653–659. https://doi.org/10.5216/cab.v11i3.5933 Barroso A.M.C. & Silva A.K.M. (2018) Perfil clínico e epidemiológico da leishmaniose no estado do Piauí no período de 2007 a 2017. Monografia (Graduação em Biomedicina). Centro Universitário UNINOVAFAPI, Teresina, Piauí. Batista F.M.A., Machado F.F.O.A., Silva J.M.O., Mittmann J., Barja P.R. & Simioni A.R. (2014) Leishmaniose: perfil epidemiológico dos casos notificados no estado do Piauí entre 2007 e 2011. Revista Univap, 20(35): 44–55. http://dx.doi.org/10.18066/revunivap.v20i35.180 Bavia M.E., Carneiro D.D.M.T., Gurgel H.C., Filho C.M. & Barbosa M.G.R. (2005) Remote sensing and geographic information systems and risk of American visceral leishmaniasis in Bahia, Brazil. Parasitology, 47(3): 165–169. Bevilacqua P.D., Paixão H.H., Modena C.M. & Castro M.C.P.S. (2001) Urbanização da leishmaniose visceral em Belo Horizonte. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, 53(1): 1–8. https://doi.org/10.1590/S0102-09352001000100001 Bonates A. (2003) Leishmaniose Visceral (Calazar). Veterinary News, 61: 4–5.
/*ref*/Brasil (2006) Ministério da Saúde. Manual de vigilância e controle da Leishmaniose Visceral. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Brasília: Editora do Ministério da Saúde. 120 p. Brito F.G., Langoni H., Silva R.C., Rotondano T.E.F., Melo M.A. & Paz G.S. (2016) Canine visceral leishmaniasis in the Northeast Region of Brazil. Journal of Venomous Animals and Toxins including Tropical Diseases, 22(15): 1–4. https://doi.org/10.1186/s40409-016-0069-4 Caldas A.J.M., Lisbôa L.L.C., Silva P.F., Coutinha N.P.S. & Silva T.C. (2013) Perfil das crianças com leishmaniose visceral que evoluíram para óbito, falha terapêutica e recidiva em hospital de São Luís, Maranhão. Revista de Pesquisa em Saúde, 14(2): 91–95. Caminha A.E.Q. (2004) Aspectos clínicos da leishmaniose visceral canina na cidade de Fortaleza, Ceará. Monografia (Graduação em Medicina Veterinária). Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, Rio Grande do Norte. Cavalcanti O.L., Miranda V.L., Lappa F.P.F., Barbosa D.B.S., Fortier D.C., Nascimento L.M.F., Barbosa D.R.S. & Soares M.R.A. (2017) Aspectos da incidência de leishmaniose visceral humana e canina no município de Floriano/PI, Brasil. Revista Espacios, 38(8): 20–26. Cerbino Neto J. (2003) Fatores Associados à Incidência de Leishmaniose Visceral em Teresina-PI na Década de 90. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Medicina). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Medicina, Rio de Janeiro. Costa C.H.N. (2008) Characterization and speculations on the urbanization of visceral leishmaniasis in Brazil. Cadernos de Saúde Pública, 24(12): 2959–2963. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001200027 Drumond K.O. & Costa F.A.L. (2011) Forty years of visceral leishmaniasis in the State of Piaui: a review. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, 53(1): 3–11. http://dx.doi.org/10.1590/S0036-46652011000100002 Feitosa M.M., Ikeda F.A., Luvizotto M.C.R. & Perri S.H.V. (2000) Aspectos clínicos de cães com leishmaniose no município de Araçatuba, São Paulo (Brasil). Clínica Veterinária, 28: 36–44. Feliciano M.A.R., Aquino A.A., Coutinho L.N. & Vicente W.R.R. (2012) Imunologia na gestação de cadelas: revisão de literatura. Revista Brasileira de Reprodução Animal, 36: 158–162. Figueiredo F.B., Lima Júnior F.E.F., Tomio J.E., Indá F.M.C., Corrêa G.L.B. & Madeira M.F. (2012) Leishmaniose visceral canina: dois casos autóctones no município de Florianópolis, estado de Santa Catarina. Acta Scientiae Veterinariae, 40(1): 1026. França-Silva J.C., Costa R.T., Siqueira A.M., Machado-Coelho G.L.L., Costa C.A., Mayrink W., Vieira E.P., Costa J.S., Genaro O. & Nascimento E. (2003) Epidemiology of canine visceral leishmaniasis in the endemic area of Montes Claros Municipality, Minas Gerais state, Brazil. Veterinary Parasitology, 111: 161–173. http://dx.doi.org/10.1016/s0304-4017(02)00351-5 Freitas J.C.C. (2011) Subsídios para o estudo da leishmaniose visceral canina na cidade de Fortaleza, Ceará. Tese (Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias). Universidade Estadual do Ceará, Faculdade de Veterinária, Fortaleza, Ceará. Freitas L.C.S. & Feitosa A.C. (2014) Espaço e Saúde: condições socioambientais favoráveis à leishmaniose visceral (LV) na bacia do rio Anajá em Paço do Lumiar – MA. Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, 10(18): 33–45. Freitas S.O., Gomes J.M.A. & Aquino C.M.S. (2016) Análise dos impactos ambientais da extração de opala no munícipio de Pedro II, Piauí. Geociências, 35(3): 443–456. Gatti R.R., Matsumoto A.M.B. & Simom Y.G. (2018) Guia de orientação para vigilância de leishmaniose visceral canina (LVC). Florianópolis: Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina. 40 p. Gontijo C.M.F. & Melo M.N. (2004) Leishmaniose visceral no Brasil: quadro atual, desafios e perspectivas. Revista Brasileira de Epidemiologia, 7(3): 338–349. https://doi.org/10.1590/S1415-790X2004000300011 Guimarães M.A., Rocha C.M.B.M., Oliveira T.M.F.S., Rosado I.R., Morais L.G. & Santos R.R.D. (2009) Fatores associados à soropositividade para Babesia, Toxoplasma, Neospora e Leishmania em cães atendidos em nove clínicas veterinárias do município de Lavras, MG. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, 18: 49–53.
/*ref*/Santos J.P., Dias-e-Silva T.P., Lima D.W.G. & Mendonça I.L. (2014) Leishmaniose visceral no município de Bom Jesus, Piauí, Brasil. Acta Veterinária Brasílica, 8(4): 236–241. https://doi.org/10.21708/avb.2014.8.4.4302 Santos G.M., Barreto M.T.S., Monteiro M.J.S.D., Silva R.V.S., de Jesus R.L.R. & Silva H.J.N. (2017) Aspectos epidemiológicos e clínicos da leishmaniose visceral no estado do Piauí, Brasil. Ciência & Desenvolvimento-Revista Eletrônica da FAINOR, 10(2): 142–153. http://dx.doi.org/10.11602/1984-4271.2017.10.2.12 Silva D.A., Madeira M.F. & Figueiredo F.B. (2015) Geographical Expansion of canine visceral leishmaniasis in Rio de Janeiro state, Brazil. Revista do Instituto de Medicina Tropical, 57(5): 435–438. https://doi.org/10.1590/S0036-46652015000500012 Silva A.V.M.D., Paula A.A.D., Cabrera M.A.A. & Carreira J.C.A. (2005) Leishmaniose em cães domésticos: aspectos epidemiológicos. Cadernos de Saúde Pública, 21: 324–328. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000100036 Silva J.D., Melo D.H.M., Costa J.A.G., Costa D.F., Silva R.B.S., Melo M.A., Azevedo S.S. & Alves C.J. (2017) Leishmaniose visceral em cães de assentamentos rurais. Pesquisa Veterinária Brasileira, 37(11): 1292–1298. https://doi.org/10.1590/s0100-736x2017001100016 Siqueira F.R.D. (2012) Leishmaniose visceral canina. Monografia (Especialização em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais). UNIGRAN – Centro Universitário da Grande Dourados, Mato Grosso do Sul. Soares M.R.A., Mendonca I.L., Bonfim J.M., Rodrigues J.A., Werneck G.L. & Costa C.H.N. (2011) Canine visceral leishmaniasis in Teresina, Brazil: Relationship between clinical features and infectivity for sand flies. Acta Tropical, 117: 6–9. https://doi.org/10.1016/j.actatropica.2010.08.015 Tilley L.P. & Smith Jr. F.W.K. (2008) Consulta veterinária em cinco minutos. Espécies canina e felina. 3° edição. São Paulo: Manole. 1550 p. Troncarelli M.Z., Carneiro D.M.V.F. & Langoni H. (2012) Visceral Leishmaniosis: an old disease with continuous impact on Public Health (p. 263–282). In: Lorenzo-Morales J. (Ed.). Zoonosis. InTech. https://doi.org/10.5772/2125 Werneck G.L., Costa C.H.N., Walker A.M., David J.R., Wand M. & Maguire J.H. (2002) The urban spread of visceral leishmaniasis: Clues from spatial analysis. Epidemiology, 13(3): 364–367. https://doi.org/10.1097/00001648-200205000-00020 Werneck G.L., De Jesus T.F.P.C., Farias G.C., Silva F.O., Chaves F.C., Golvêa M.V., Henrique C.N.C. & Amorim F.C.A. (2008) Avaliação da efetividade das estratégias de controle da leishmaniose visceral na cidade de Teresina, Estado do Piauí, Brasil: resultados do inquérito inicial – 2004. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 17(2): 87–96. Zar J.H. (2010) Biostatistical analysis. 5° edição. New York: Prentice - Hall/Pearson. 944 p.
 
Rights Direitos autorais 2021 Autor e Revista mantêm os direitos da publicação
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library