A residência não habitual: um novo elemento de conexão na tributação da renda das pessoas físicas?

Revista de la Facultad de Derecho

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title A residência não habitual: um novo elemento de conexão na tributação da renda das pessoas físicas?
The non-Common Residence: A New Connection Element in the Taxation of the Personal Income Tax?
La residencia no habitual: ¿un nuevo elemento de conexión en la tributación de la renta de las personas físicas?
 
Creator João Ricardo Catarino
Daniela Esteves
 
Description As dificuldades económicas têm levado a União Europeia a adotar novas estratégias de competitividade, como o caso da denominada “Estratégia Europeia 2020” (CE, 1997; 1997a; 1998; 2010). Esta estratégia alargou-se à política fiscal de vários estadosmembros, através da qual eles têm vindo a adotar soluções fiscais inovadoras para aumentar o investimento e a sua competitividade, como é o caso dos regimes de tributação dos residentes não habituais (Catarino, 2016). Nesta pesquisa avaliamos a evolução do conceito de residência no imposto de renda das pessoas físicas como forma de atrair residentes qualificados e investimento.Sistematizámos o regime dos residentes não habituais comparando das características entre Portugal e Espanha, e visámos determinar se os seus regimes de tributação são realmente mais atrativos do que o regime geral e, em caso afirmativo, em que termos. Apurámosa existência de diferenças que possam influenciar a opção entre um ou outro por parte dos interessados. Concluímos que não há uma evolução no conceito de residência adotado, que a maior atratividade do referido regime se efetiva, através da aplicação das alíquotas de imposto de renda das pessoas físicas mais baixas e que a sua semelhança não permite concluir pela supremacia de um regime face ao outro.
Economic difficulties have led the European Union to adopt new competitiveness strategies, such as the so-called “European 2020 Strategy” (EC, 1997; 1997a; 1998; 2010). This strategy has been extended to the fiscal policy of several Member States, whereby theyhave been adopting innovative fiscal solutions to increase investment and their competitiveness, such as the taxation ofnon-habitual residents (Catarino, 2016). In this research we evaluate the evolution of the concept of residence in personal income tax as a way to attract qualified residents and investment. We have systematized the regime of non-habitual residents by comparing the characteristics between Portugal and Spain and have pursued to determine whether their tax regimes are actually more attractive than the general scheme and, if so, under what terms. We have determined the existence of differences that may influence the choice between one or the other by the interested parties. We conclude that there is no evolution in the concept of residence adopted, that a greater attractiveness of the mentioned above regime is effective, through the application of lower rates of income tax and that its’ similarity does not allow the conclusion ofthe supremacy ofa regime against the other.
Las dificultades económicas han llevado Europa a adoptar nuevas estrategias de competitividad, como la “Estrategia Europea 2020” (CE 1997; 1997a; 1998; 2010). Esa estrategia se amplió a la política fiscal de varios estados miembros, a través de la cual se viene adoptando nuevas soluciones fiscales para incrementar la inversión y su competitividad, como es el caso de los regímenes de los residentes no habituales (Catarino, 2016). En esta investigación analizamos la evolución del concepto de residencia en el impuesto sobre la renta de las personas físicas como forma de atraer residentes más cualificados e inversión. Sistematizamos el régimen de los residentes no habituales comparando las características entre Portugal y España, y buscamos determinar si sus regímenes de tributación son realmente más atractivos que el régimen general y, en caso afirmativo, en qué términos. Averiguamos la existencia de diferencias que pueden afectar la opción entre uno y otro régimen por las partes interesadas. Concluimos que no hay una evolución en el concepto de residencia, que el mayor atractivo del régimen corresponde a la aplicación de una tasa de impuesto más baja y que su semejanza no permite concluir por la supremacía de un régimen ante el otro.
 
Publisher Facultad de Derecho
 
Date 2020-07-08
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion
artículo evaluado por pares
Peer-reviewed Article
Avaliado pelos pares
 
Format application/pdf
text/html
 
Identifier https://revista.fder.edu.uy/index.php/rfd/article/view/758
10.22187/rfd2020n49a11
 
Source Revista de la Facultad de Derecho; No 49 (2020); e20204911
Revista de la Facultad de Derecho; Núm. 49 (2020); e20204911
Revista de la Facultad de Derecho; n. 49 (2020); e20204911
2301-0665
0797-8316
 
Language por
 
Relation https://revista.fder.edu.uy/index.php/rfd/article/view/758/1346
https://revista.fder.edu.uy/index.php/rfd/article/view/758/1347
/*ref*/Bastos, Frederico Silva; Estellita, Heloísa (2015). O intercâmbio de informações tributárias e a cooperação internacional no brasil. Revista Direito GV, 11(1), 13-35.
/*ref*/Blaikie, N. (2010). Designing Social Research – The Logic of Anticipation. Cambridge Press.
/*ref*/Bryman, A. (2004). Social Research Methods, 2nd Edition. Oxford University Press.
/*ref*/Borges, R. da Palma; Sousa, P. Ribeiro (2009). O novo regime dos residentes não habituais. Revista Fiscalidade, (40), 5-57.
/*ref*/Catarino, J. R. (2000). Problemas e perspectivas de mudança nos sistemas tributários contemporâneos. Revista Tributária e de Finanças Públicas, (18), 337-364.
/*ref*/Catarino, J. R. (2001). A Concorrência Fiscal Entre Regiões no Quadro Europeu - A Dialéctica Entre a Regionalização e o Tributo. Lisboa: Cadernos de Ciência e Técnica Fiscal, Ministério das Finanças n.º 401.
/*ref*/Catarino, J. R. (2003). Globalização e Capacidade Fiscal Contributiva. Revista de História e Teoria das Ideias, 16(17), 437-460.
/*ref*/Catarino, J. R. (2009). Para Uma Teoria Política do Tributo (2ª Edição). Lisboa: Cadernos de CTF, nº 184.
/*ref*/Catarino, J. R. (2011). Globalização e competitividade fiscal internacional: Limites e proposições. Revista NOMOS, (2), 181-195.
/*ref*/Catarino, J. R. (2016). Finanças Públicas e Direito Financeiro (3ª Ed.). Almedina.
/*ref*/Catarino, J. R.; Fonseca, J. (2013). Sustentabilidade financeira e orçamental em contexto de crise global numa Europa de moeda única. Revista Sequência, (34), 21-51.
/*ref*/Catarino, J. R.; Guimarães, V. (2015). Lições de Fiscalidade: Gestão e Planeamento Fiscal Internacional. Almedina.
/*ref*/Clavijo, A. (2013). Propuestas para la reforma del Régimen de Impatriados Español desde una visión de derecho comparado. Revista Crónica Tributaria, (148), 195-213.
/*ref*/Comissão Europeia (1997). A package to tackle harmful tax competition in the European Union. Comunicação da Comissão ao Conselho e ao Parlamento Europeu, de 5 de Novembro de 1997, COM (97) 564, final.
/*ref*/Comissão Europeia (1997). Plano de Acção para o Mercado Único para 1997. Comunicação da Comissão ao Conselho, de 30 de Abril de 1997, COM (97), 184.
/*ref*/Comissão Europeia (2014). Estado atual da estratégia Europa 2020 para um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo. Comunicação da Comissão ao Conselho, de 5 de Março de 2014, COM (2014) 130 final.
/*ref*/Comunicação da Comissão (2020). Europa 2020 - Estratégia para um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo. http://eur-lex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=COM:2010:2020:FIN:PT:PDF.
/*ref*/Faustino, M. (2015). O imposto sobre o rendimento das pessoas singulares. Lições de Fiscalidade: Gestão e Planeamento Fiscal Internacional. Almedina.
/*ref*/Flores, R. (2015). Las rentas de trabajo en el Impuesto sobre la Renta de las Personas Físicas. Dykinson, Estudio jurídico tributario.
/*ref*/Gouveia, F. H. C. e Afonso, L. E.(2013). Uma análise das formas de remuneração dos sócios por meio do planejamento tributário. Revista de Administração Mackenzie, (14), 69-98.
/*ref*/Junqueira, M. de O. (2015). O nó da reforma tributária no Brasil (1995-2008). Revista Brasileira de Ciências Sociais, (30), 93-113.
/*ref*/OECD (1998). Harmful Tax Competition: An Emerging Global Issue. OECD Publishing.
/*ref*/OECD (2014). Base Erosion and Profit Shifting (BEPS). OECD Publishing. Pohlmann, M. C. e Iudícibus, S. (2010). Relação entre a tributação do lucro e a estrutura de capital das grandes empresas no Brasil. Revista de Contabilidade e finanças, (21), 1-25.
/*ref*/Relatório CCE (1998). A Fiscalidade na União Europeia. Relatório sobre a Evolução dos Sistemas Fiscais, COM (98), 846.
/*ref*/Ribes, A. (2015). Expatriate Taxation in Spain: Some Reflections for Debate. Revista Intertax, (43), 460-473.
/*ref*/Tanzi, V. (2006). Death of an Illusion? Decline and Fall of High Tax Economies. Politeia.
/*ref*/Tanzi, V. (2006a). Making Policy Under Efficiency Pressures; Globalization, Public Spending, and Social Welfare, in The New Public Finance. Inge Kaul and Pedro Conceição.
/*ref*/Tanzi, V. (2007). Fiscal Policy in the Future: Challenges and Opportunities. Berlin: Presentation at the Conference on “Fiscal Policy Challenges in Europe”, March 22–23.
/*ref*/YIN, R. (2009). Case Study Research – Design and Methods, Fourth Edition. Sage.
 
Rights Derechos de autor 2020 ojsAdmin ojs
https://creativecommons.org/licenses/by/4.0
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library