Dissecando o racismo epistêmico: afroperspectivizando o ensino de Filosofia

Ítaca

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title Dissecando o racismo epistêmico: afroperspectivizando o ensino de Filosofia
 
Creator Rodrigues Costa da Silva, Vinícius
Silva, Karine de Souza
Rodrigues, Vitória Luíza Conceição
Cassiano, Roberta Ribeiro
 
Subject Ciências Humanas; Filosofia; Educação; Filosofia Africana
filosofia africana; ensino de Filosofia; racismo epistêmico; afroperspectiva
 
Description Este artigo objetiva argumentar acerca do racismo epistêmico inerente à narrativa de validade filosófica, isto é, a validação de somente uma corrente de pensamento enquanto legítima, qual seja, a filosofia ocidental. Percebe-se que o racismo epistêmico tem tido um papel determinante na produção filosófica ocidental. Assim, argumentaremos acerca das bases constituintes do ensino de filosofia e sobre a possibilidade de afroperspectivação dele como metodologia de pluriversalidade e diálogo filosófico – o que contribui para a agência de vozes não-ocidentais insurgentes na filosofia.
 
Publisher Universidade Federal do Rio de Janeiro
 
Contributor Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - Campus Nilópolis
 
Date 2020-06-18
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion

 
Format application/pdf
 
Identifier https://revistas.ufrj.br/index.php/Itaca/article/view/30961
 
Source Ítaca; n. 36 (2020): Edição Especial - Filosofia Africana; 379 - 406
Ítaca; n. 36 (2020): Edição Especial - Filosofia Africana; 379 - 406
1679-6799
1519-9002
 
Language por
 
Relation https://revistas.ufrj.br/index.php/Itaca/article/view/30961/19778
/*ref*/AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Trad. Henrique Burigo, Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.
/*ref*/ALMEIDA, Silvio. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte, MG: Letramento: Justificando, 2018. (Coleção Feminismos Plurais)
/*ref*/ARISTÓTELES. Coleção os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978.
/*ref*/ASANTE, Molefi Kete. Afrocentricidade: notas sobre uma posição disciplinar. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009. p. 93-110.
/*ref*/______. Afrocentricidade e educação na senda do progresso: Brasil e EUA. In: CARVALHO, Carlos Roberto; NOGUERA, Renato; SALES, Sandra Regina (orgs.). Relações étnico-raciais e educação: contextos, práticas e pesquisas. Rio de Janeiro: Nau, EDUR, 2013, p. 23-34.
/*ref*/BENEDICTO, Ricardo Matheus. Afrocentricidade, Educação e Poder: Uma Crítica Afrocêntrica ao Eurocentrismo no Pensamento Educacional Brasileiro. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-29032017-161243/pt-br.php
/*ref*/BERNASCONI. Robert. É fenomenológica a distinção entre natureza e cultura? Fontes para a luta contra o racismo In Fenomenologia Hoje IV: ciência e técnica. CASANOVA, Marco; FURTADO, Rebeca (orgs.). Rio de Janeiro: Via Verita, 2013.
/*ref*/________. Who invented the concept f Race? Kant’s role in the einlightenment construction of race. In Race, ed. Oxford: Blackwell, 2001, p. 11-36.
/*ref*/BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2004.
/*ref*/______. LEI Nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm
/*ref*/______. LEI Nº 11.645, de 10 de março DE 2008. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2008/lei-11645-10-marco-2008-572787-publicacaooriginal-96087-pl.html
/*ref*/CARNEIRO, Sueli. A Construção do Outro como Não-Ser como fundamento do Ser. Tese (Doutorado em Filosofia da Educação). São Paulo: FEUSP, 2005. Disponível em: https://negrasoulblog.files.wordpress.com/2016/04/a-construc3a7c3a3o-do-outro-como-nc3a3o-ser-como-fundamento-do-ser-sueli-carneiro-tese1.pdf
/*ref*/CHALMERS, Alan. O que é ciência afinal? São Paulo: Brasiliense, 1993.
/*ref*/DANTAS, Luis Thiago Freire. Filosofar desde África: perspectivas descoloniais. Tese (Doutorado em Filosofia). Paraná: UFPR, 2018. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/54739/R%20-%20T%20-%20LUIS%20THIAGO%20FREIRE%20DANTAS.pdf?sequence=1&isAllowed=y
/*ref*/DIOP, Cheikh Anta. The African Origin of Civilization: Myth or reality. Trad. Mercer Cook. Chicago: Lawrence Hills Books, 1974.
/*ref*/FEYERABEND, Paul. Contra o método. São Paulo: Unesp, 2007.
/*ref*/FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. Trad. Maria Ermantina Galvão. 2ª ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.
/*ref*/GORENDER, Jacob. Gênese e desenvolvimento do capitalismo em campo brasileiro. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987.
/*ref*/EZE, Emmanuel Chukwudi. Modern Western philosophy and African colonialism. In: _____. (ed.), African Philosophy: An Anthology. Blackwell Publishing, 1998, p. 213-221.
/*ref*/HERÓDOTO. Coleção os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 2001.
/*ref*/HUME, David. Of National Characters in Essays moral, political and literary. Revised edition, Liberty Classics. Indianapolis: Liberty Fund, 1987.
/*ref*/JAMES, George G. M. Stolen legacy: the greek philosophy is a stolen egyptian philosophy. Drewryville: Khalifah’s, 2005.
/*ref*/KILOMBA, Grada. Plantation Memories: episodes of everyday racism. 4ª ed. Münster: UNRAST-Verlag, 2016.
/*ref*/MACHADO, Adilbênia Freire. Ancestralidade e Encantamento como inspirações formativas: filosofia africana mediando a história e cultura africana e afro-brasileira. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, 2014. Disponível em: https://filosofia-africana.weebly.com/uploads/1/3/2/1/13213792/adilb%C3%AAnia_freire_machado_-_ancestralidade_e_encantamento_como_inspira%C3%A7%C3%B5es_formativas_-_filosofia_africana_mediando_a_hcaa.pdf
/*ref*/MBEMBE, Achille. Políticas da Inimizade. Trad. Marta Lança. Lisboa: Antígona, 2017.
/*ref*/NASCIMENTO, Abdias. O genocídio do negro brasileiro: processo de um racismo mascarado. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2017. NOGUERA, Renato. O ensino de filosofia e a lei 10.639. Rio de Janeiro: Pallas – Biblioteca Nacional, 2014.
/*ref*/NOGUERA, Renato; NASCIMENTO, Wanderson Flor do. O ensino de filosofia em afroperspectiva. In: CARVALHO, Carlos Roberto; NOGUERA, Renato; SALES, Sandra Regina (orgs.). Relações étnico-raciais e educação: contextos, práticas e pesquisas. Rio de Janeiro: Nau, EDUR, 2013, p. 75-89.
/*ref*/OBENGA, Théophile. Egypt: Ancient History of African Philosophy. In: KWASI, Wiredu (org.). A Companion to African Philosophy. Massachusetts: Blackwell Publishing, 2004a, pp.31-49.
/*ref*/______. African philosophy: The pharaonic period: 2780-330 b.C. Trad. Ayi Kwei Armah. Senegal: Per Ankh, 2004b.
/*ref*/RAMOSE, Mogobe. Sobre a legitimidade e o estudo da filosofia africana. Ensaios filosóficos, vol. IV, 2011. p. 9-23 Disponível em: http://www.ensaiosfilosoficos.com.br/Artigos/Artigo4/RAMOSE_MB.pdf
/*ref*/RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte, MG: Letramento: Justificando, 2017a. (Coleção Feminismos Plurais)
/*ref*/RIBEIRO, Katiúscia. Kemet, escolas e arcádeas: a importância da filosofia africana no combate ao racismo epistêmico e a lei 10.639/03. Dissertação (Mestrado em Filosofia e Ensino) – Programa de pós-graduação em Filosofia e Ensino, CEFET, Rio de Janeiro, 2017b. Disponível em: https://filosofia-africana.weebly.com/uploads/1/3/2/1/13213792/kati%C3%BAscia_ribeiro_-_dissertac%CC%A7a%CC%83o_final.pdf
/*ref*/ROCHA, Aline Matos da. A exclusão Intelectual do Pensamento Negro. Programa de Iniciação Científica da Universidade de Brasília. Brasília, 2012/2013. p. 1-17. Disponível em: https://filosofia-africana.weebly.com/uploads/1/3/2/1/13213792/aline_matos_da_rocha_-_a_exclus%C3%A3o_intelectual_do_pensamento_negro.pdf.
/*ref*/______. Pensar o invisível: as mulheres negras como produtoras de pensamento filosófico. Monografia (Licenciatura em Filosofia) – UnB, Brasília, 2014. Disponível em: http://bdm.unb.br/handle/10483/10019
/*ref*/ROSA, Ellen Aparecida de Araújo. Rekhet – A filosofia antes da Grécia: colonialidade, os exercícios espirituais e o pensamento filosófico africano na antiguidade. 2017. Dissertação (Mestrado em Filosofia). Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ, 2017. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5449296
/*ref*/SCHUCMAN, Lia Vainer. Entre o encardido, o branco e o branquíssimo: branquitude, hierarquia e poder na cidade de São Paulo. São Paulo: Annablume, 2014.
/*ref*/SPIVAK, Gayatri. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.
/*ref*/SODRÉ, Muniz. Pensar Nagô. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2017.
/*ref*/TOWA, Marcien. A ideia de uma filosofia negro-africana. Nandayala, NEABI-UFPR, 2015.
/*ref*/VASCONCELOS, José Antonio. Reflexões: Filosofia e cotidiano. São Paulo: Edições SM, 2016.
/*ref*/WADE, Peter. Raça: natureza e cultura na ciência e na sociedade. In: HITA, Maria Gabriela (org.). Raça, racismo e genética em debates científicos e controvérsias sociais. Salvador: EDUFBA, 2017, p. 47-79.
 
Rights Direitos autorais 2020 Vinícius Rodrigues Costa da Silva, Karine de Souza Silva, Vitória Luíza Conceição Rodrigues, Roberta Ribeiro Cassiano
http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library