Sociodemographic and obstetric profile of women undergoing episiotomy after returning to sexual activity / Perfil sociodemográfico e obstétrico de mulheres submetidas a episiotomia após o retorno às atividades sexuais / Perfil sociodemográfico y obstétrico de mujeres sometidas a la episiotomía..

Revista de Enfermagem da UFPI

View Publication Info
 
 
Field Value
 
Title Sociodemographic and obstetric profile of women undergoing episiotomy after returning to sexual activity / Perfil sociodemográfico e obstétrico de mulheres submetidas a episiotomia após o retorno às atividades sexuais / Perfil sociodemográfico y obstétrico de mujeres sometidas a la episiotomía..
 
Creator Ribeiro da Silveira, Flávia Dayana
Freitas da Silva, Grazielle Roberta
Kakuda Shimo, Antonieta Keiko
Nery, Inez Sampaio
Carvalho, Nalma Alexandra Rocha
Morais, Kerolayne Laiz Barbosa
 
Description Objetivo: descrever o perfil socioeconômico e obstétrico de mulheres submetidas à episiotomia após o retorno às atividades sexuais. Metodologia: estudo quantitativo com amostra intencional e não‐probabilística de 126 mulheres, atendidas na atenção básica, submetidas ao parto vaginal com episiotomia. Após aprovação do Comitê de Ética, foi aplicado o instrumento com os seguintes dados: idade, raça, moradia, renda e grau de escolaridade, seguido de perguntas acerca de dados obstétricos da participante. Resultados: as entrevistadas eram em sua maioria pardas (33,3%), jovens (M = 24,6anos), em união estável (46,8%) e com relacionamentos recentes (37,3%). As entrevistadas tinham apenas o ensino fundamental e médio, eram donas de casa (56,3%), tinham renda individual inferior a um salário (21,4%), moravam em casas cedidas com mais de quatro cômodos (54%) e com até quatro pessoas (55,6%). Sobre os dados obstétricos, não se identificou gestação gemelar, majoritariamente (80,2%) as mulheres não planejaram a gravidez e apenas 11 (8,7%) delas não realizaram nenhuma consulta pré-natal. Conclusão: evidencia-se a necessidade de prevenir gravidezes não planejadas em mulheres jovens e com baixa renda. Essa realidade pode ser mudada com profissionais da saúde pública engajados e entendendo a sexualidade enquanto necessidade humana básica, além de Políticas públicas eficazes.Descritores: Enfermagem. Episiotomia. Sexualidade.
 
Publisher Universidade Federal do Piauí
 
Contributor
 
Date 2019-04-07
 
Type info:eu-repo/semantics/article
info:eu-repo/semantics/publishedVersion

 
Format application/pdf
 
Identifier http://www.ojs.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/7348
10.26694/2238-7234.8138-43
 
Source Revista de Enfermagem da UFPI; v. 8, n. 1 (2019); 38-43
2238-7234
 
Language por
 
Relation http://www.ojs.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/7348/pdf
http://www.ojs.ufpi.br/index.php/reufpi/article/downloadSuppFile/7348/1666
 
Rights Direitos autorais 2019 Revista de Enfermagem da UFPI
 

Contact Us

The PKP Index is an initiative of the Public Knowledge Project.

For PKP Publishing Services please use the PKP|PS contact form.

For support with PKP software we encourage users to consult our wiki for documentation and search our support forums.

For any other correspondence feel free to contact us using the PKP contact form.

Find Us

Twitter

Copyright © 2015-2018 Simon Fraser University Library